Bacalhau faz bem à saúde? É verdade, este peixe é magro, de fácil digestão, protetor do sistema cardiovascular e melhora o humor e a memória.

Quando se fala em gastronomia portuguesa, um dos alimentos é Rei em qualquer ementa: o bacalhau. O bacalhau é um dos alimentos mais consumidos e apreciados pelos portugueses, fazendo parte da nossa cozinha tradicional.

Existem diversas variedades de bacalhau. Normalmente, é vendido seco e salgado, mas também o podemos encontrar demolhado e ultracongelado, fresco em filetes e postas. As suas propriedades nutricionais são bem preservadas devido ao processo de seca e salga, as quais são naturais, não sendo adicionadas substâncias químicas. No caso do bacalhau salgado, alerto para a importância de ser bem demolhado antes de se confecionar, de forma a reduzir o seu teor em sódio, não sendo necessária a adição extra de sal. O tempo mínimo de demolha deve ser de 24 horas, e para postas mais grossas cerca de 48 horas e no caso do bacalhau desfiado serão necessárias apenas seis horas. A água da demolha deve ser mudada várias vezes, devendo o bacalhau ser armazenado no frigorífico de forma a impedir a proliferação bacteriana.

Tal como os restantes peixes, o bacalhau é de fácil digestão, apresentando uma elevada riqueza nutricional pois é rico em proteínas de alto valor biológico, de vitamina B12 e de minerais como o iodo, fósforo, sódio, potássio, ferro e cálcio. É um peixe magro, sendo o seu fígado o principal reservatório de gordura, de onde se extrai o conhecido óleo de fígado de bacalhau, riquíssimo em vitaminas A e D. O bacalhau é também uma fonte
de ácidos gordos polinsaturados, de onde se destaca o ácido gordo ómega 3, que apresenta um efeito protetor sobre o sistema cardiovascular. Possui, ainda, um papel preventivo sobre o cancro e favorece o desenvolvimento do sistema imunológico. Além disso é rico num aminoácido essencial, o triptofano, o qual é percursor da serotonina,
e encontra-se envolvido nos processos de melhoria de humor e da memória, sobretudo em pessoas com défice

deste neurotransmissor, como pode ser o caso de algumas mulheres na fase pré-menstrual e pessoas mais vulneráveis a estados de stress.
Portugal é um dos países onde se consome mais bacalhau

a nível mundial, sendo que este alimento apresenta, talvez, a maior variedade de receitas. Tal como todos os outros alimentos, pode ser confecionado de forma mais ou menos saudável. O tradicional bacalhau cozido, com batatas e legumes cozidos, habitualmente consumido na quadra natalícia, é um dos exemplos das formas mais saudáveis de se confecionar o bacalhau.

A adição de produtos como óleo, manteiga, natas ou maionese ao bacalhau, irá modificar o seu valor nutricional e calórico. Devemos optar, por isso, por confecioná-lo de forma mais saudável, como por exemplo, cozido, grelhado, estufado e assado com pouca gordura, devendo-se evitar os fritos.
A gordura de eleição usada na preparação gastronómica deste peixe deve ser o azeite, sempre com moderação, pois apesar de ser uma gordura saudável, não deixa de ser uma gordura com 9 kcal por grama.

Aqui fica uma receita de Bacalhau à Brás à minha moda e outra de bacalhau à moda da Sofia.

 

 

(Visto 912 vezes)

Comentários