A culinária italiana é das mais famosas e apreciadas em todo o mundo, devido às suas deliciosas pizzas e pastas. Os seus gelados e vinhos também são afamados.

 

Estar à mesa é um ritual muito importante para os italianos. É na hora das refeições que as famílias se juntam e as conversas correm ao sabor das emoções e dos sentidos. Se pensar num qualquer filme italiano, o mais normal é que contenha cenas intensas em redor da mesa de refeições.

Na cozinha dos italianos os produtos são frescos e bastante coloridos. O prato mais simples tem necessariamente de ser saboroso e conter uma ou outra erva, sendo o manjericão um dos aromas que reúne mais apreciadores.

Com um vasto território e influências diversas de norte a sul do país, Itália tem uma oferta gastronómica muito variada. Contudo, foram as pizzas e as pastas que levaram o nome do país a todos os cantos do mundo. Se a culinária no norte do país é marcadamente influenciada pelos franceses e austríacos, com uma predominância de alimentos derivados do leite, o sul sofre de influência árabe, marcada na culinária através das carnes e dos molhos condimentados.

Enquanto que nas regiões montanhosas os cogumelos são muito usados na confeção de alimentos, nas do litoral abunda o peixe fresco. Especialmente os tão apreciados atum e peixe espada.

Itália tem também uma forte influência da gastronomia mediterrânica, que está mais presente nas ilhas, Sardenha e Sicília.

Apesar da enorme variedade de pratos e alimentos, as pastas – que mais não são que massas preparadas de formas infinitas – e as pizzas, são os pratos mais conhecidos da culinária italiana e apreciados um pouco por todo o mundo.

 

O segredo está… na massa

Apesar de as suas origens remontarem ao antigo Egito, a pizza, tal como hoje a conhecemos, foi criada em Nápoles, em 1889, pelo chefe Taffaello Esposito, em homenagem à então rainha Margherita, que visitava a região acompanhada do seu marido, o rei Umberto.

A pizza por ele criada, que adotou o nome da rainha, tornando-se na famosa “Pizza Margherita”, base de todas as outras, tem as três cores da bandeira italiana: o vermelho, do tomate, o branco, do queijo, e o verde, do manjericão.

Com uma base feita de água e farinha, geralmente de trigo, as pizzas podem ser recheadas ao sabor e gosto de cada um. Contudo, as mais tradicionais são, para além da Margheritta, a Napolitana, com tomate, azeite, orégãos e alho, a Calzone, que é uma pizza fechada, e a Formaggio, feita de queijos, tal como o nome indica.

No início as pizzas eram comidas sobretudo pelas famílias mais pobres do sul de Itália, rendendo-se depois todo o país ao seu sabor.

Quando falamos em pasta, falamos de uma variedade imensa de massas, geralmente frescas. Do esparguete ao tortellini, do canelone ao rigatoni, passando pelo penne ou tagliatelli. Cozidas em água com sal, as massas podem ser servidas de forma muito simples, regada com um fio de azeite e temperada com alho, ou acompanhada de molho, normalmente de tomate, de queijo ou pesto.

Na culinária italiana, para além da tradicional lasanha, que são laminas de massa intercaladas com recheio à escolha, que pode ser de carne, peixe ou vegetariana, existe também uma variedade de massas recheadas como é o caso dos ravioli, pequenos quadrados de massa recheados de carne, de presunto, de queijo e, ou, de espinafres.

Uma refeição completa compreende vários pratos, já que os italianos não gostam de misturar alimentos no mesmo recipiente. Assim começa-se com o antipasto, que mais não é que uma entrada, normalmente composta de salada. Segue-se o primo piatto, regra geral um hidrato de carbono (massa ou risotto), ou uma minestra, que é a sopa italiana. A seguir vem o secondo piatto, de carne ou peixe, com o respetivo, contorno, o acompanhamento, que pode ser de legumes ou verduras. Estes são os únicos alimentos que os italianos se permitem a misturar.

Seguem-se a sobremesa e o café. O gelato é uma das sobremesas mais procuradas e apreciadas, sendo os sabores de eleição o tiramisu, o mascarpone e o pistache.  Indispensável no final da refeição o café, que pode ser bebido de forma simples, expresso, ou com leite misturado, o famoso cappuccino.

A acompanhar as refeições está quase sempre um outro produto que goza de gabarito internacional: o vinho. Nenhum outro país produz uma variedade tão grande de uvas e vinho. É por isso natural que, também nesta área, a oferta seja grande.

Culinária italiana

Deliciosas iguarias

O queijo é um produto muito do agrado dos italianos, existindo cerca de meio milhar de variedades na culinária italiana. Os queijos italianos são também muito apreciados nos restantes países do mundo, gozando de maior fama o Gorgonzola, o Mozzarella di Bufala, o Parmigiano-Reggiano e o Provolone.

O carpaccio e a bruschetta são pratos que também ganharam reputação mundial, sendo muito apreciados além fronteiras. Menos comum, pelo menos em Portugal, é a polenta, uma farinha de aveia ou de trigo, frita ou grelhada, que serve de acompanhamento a pratos de peixe ou carne, substituindo o arroz ou as massas. É muito utilizada na culinária sul americana.

A Caldera da Italiana é em tudo semelhante à nossa caldeirada e o Agnelino, prato de cordeiro assado no forno com alcachofras, é umas das iguarias preferidas pelas famílias por altura da Páscoa.

 

Roteiro

Onde comer

Urbana 47

Via Urbana, 47, Roma

 

Onde ficar

Eurostars International Palace

Via Nazionale , 46, Roma

 

O que visitar

São inúmeros os locais a visitar em Roma e Cidade do Vaticano. Deixamos aqui apenas um pequeno aperitivo.

– Fontana di Trevi

– Basílica de São Pedro

– Castelo Sant´Angelo

– Piazza di Spagna

– O Coliseu

– Piazza Venezia

 

Ficou ansioso por experimentar um pouco mais da culinária italiana?

Saiba mais também sobre a Grécia, o destino ideal para os amantes da cozinha mediterrânica.

 

 

(Visto 441 vezes)

Comentários