Depois de tantos pedidos, vou finalmente revelar o que faço para demolhar bacalhau!

Já deve ter reparado como este blog está a ser inundado de receitas natalícias. São pratos que nos aquecem o corpo e a alma na noite mais mágica do ano. E nós até que podemos variar (e muito!) nas receitas escolhidas. Preparar umas bolachas, um doce típico português… mas os pratos de bacalhau são obrigatórios! E este ingrediente pode ser preparado das mais diferentes maneiras, com os mais diversos acompanhamentos, mas é sempre importante saber como demolhar bacalhau corretamente!

Antes demais, é importante sublinhar que se deve passar o bacalhau por água: assim, o ingrediente nunca fica com tanto sal. A seguir, costumo colocá-lo com a pele para cima numa tigela com uma água muito fria – não pode passar dos sete ou oito graus. Se quiser, até pode pôr o bacalhau no frigorífico: desta maneira, terá sempre a certeza de que a temperatura é sempre igual. Não se esqueça de que o bacalhau deve mesmo permanecer submerso.

No fundo da tigela, coloque o bacalhau sobre uma grelha: afinal, a água, assim que fica salgada, torna-se mais densa e vai descendo. Daí que haja uma camada de água muito salgada.

Atenção, muita atenção! Eis uma dica de que se deve lembrar sempre: assim que for trocar a água, evite os choques de temperatura. É que esse fenómeno para com a eliminação do sal. Por isso, siga o meu conselho: tenha água no frigorífico ou pequenos blocos de gelo.

Caso queira cozinhar cortes de lombos, deve demolhar separadamente. Nos casos em que forem lombos e postas altas, no decorrer de um dia, a água tem de ser trocada oito vezes. As demolhas que se seguem têm de ser feitas de seis em seis horas. E nunca troque a última água até duas horas antes de começar a cozer o bacalhau.

(Visto 453 vezes)

Comentários